PRP (Plasma rico em plaquetas) e PRF (Fibrina rica em plasma)

As cirurgias de rejuvenescimento facial desenvolveram-se nas últimas décadas em decorrência do investimento científico em novas técnicas e a enorme colaboração da comunidade médica de todo o mundo. Recentemente, o uso do plasma rico em plaquetas (PRP) e da  Fibrina rico em plasma tornou-se um avanço na condução destes casos.

O Plasma Rico em Plaquetas (PRP) é utilizado há cerca de 20 anos com o objetivo de acelerar a cicatrização e a regeneração óssea resultantes de procedimentos cirúrgicos. O plasma é obtido através da centrifugação do sangue e resulta em uma alta concentração de plaquetas em um reduzido volume plasmático. Os fatores de crescimento que compõe essa substância atuam como moléculas de adesão celular nos processos de migração epitelial, osteoindução e na formação de matriz óssea no tecido conjuntivo. A coleta do sangue geralmente é retirada do próprio paciente.

Por isso, seu uso na Odontologia é direcionado especialmente em situações que apresentam menores chances de sucesso em enxertos ósseos, osseointegração, cirurgias periodontais e maxilofaciais. Os casos tratados possuem cicatrização mais rápida da mucosa e do enxerto e aceleração da regeneração óssea nas regiões de implantes.

Fibrina Rica em Plaquetas
A Fibrina Rica em Plaquetas (PRF) é um subproduto da obtenção do Plasma Rico em Plaquetas.

Por conta das propriedades hemostáticas, adesivas e cicatrizantes do plasma de fibrina, seu uso tornou-se decorrente em cirurgias torácicas, cardiovasculares, neurológicas, oftálmicas, reconstrutivas e odontológicas. A função da Fibrina Rica em Plaquetas é promover essencialmente a adesividade entre tecidos, permitindo então que o processo de regeneração seja acelerado. Sendo assim, o seu uso é excelente para a regeneração dos tecidos moles.

A Fibrina Rica em Plaquetas e o Plasma Rico em Plaquetas podem ser usados tanto isoladamente como em associação em uma mesma cirurgia.

 

Fonte: https://bit.ly/3aOItoF